Portal da Cidade Santa Rita do Sapucaí

Tecnologia

Governador Zema prestigiará o lançamento do 5G em Santa Rita do Sapucaí

Inatel é a segunda instituição do país a receber rede 5G da TIM com tecnologia Ericsson

Postado em 04/09/2019 às 10:57 |

A cerimônia de lançamento do 5G tem início previsto para às 10h no Teatro do Inatel, onde os porta-vozes do Instituto, da TIM e da Ericsson farão a apresentação do projeto pioneiro no Brasil (Foto: Arquivo/Inatel)

O Governador do Estado de Minas Gerais, Romeu Zema, estará presente dia 5 de setembro, durante a Cerimônia para a Apresentação do Projeto Piloto 5G. A rede de testes em 5G será implantada no Instituto Nacional de Telecomunicações, Inatel, pela TIM com tecnologia Ericsson, em Santa Rita do Sapucaí (MG). A cerimônia tem início previsto para às 10h no Teatro do Inatel, onde os porta-vozes do Instituto, da TIM e da Ericsson farão a apresentação do projeto pioneiro no Brasil. 

Em parceria com a Ericsson, a operadora ativará uma rede de quinta geração, operando na frequência de 3,5 GHz, na Instituição. Essa é a segunda ativação da nova tecnologia, com autorização especial da Anatel, feita pela TIM no Brasil – o primeiro foi em Florianópolis (SC) – em que já foram registradas velocidades superiores a 1Gbps nessa rede 5G.

A iniciativa da implantação visa o desenvolvimento do ecossistema de soluções e experimentação com a tecnologia de quinta geração em rede real. A opção por habilitar a rede 5G em parceria com instituições de ensino tem o objetivo de promover o conhecimento e demonstrar o poder transformador dessa próxima onda tecnológica em um ambiente de troca inovador, como o Inatel e a cidade de Santa Rita do Sapucaí.

O Governador de Minas Gerais virá conhecer pessoalmente os estudos desenvolvidos no Estado, que estão na vanguarda das pesquisas sobre a tecnologia 5G, com foco no longo alcance. O desafio dos pesquisadores no Instituto Nacional de Telecomunicações é garantir a alta velocidade em longas distâncias das estações radiobases (ERBs) – torres de celular –, para até 50 quilômetros, já que com a 4G é necessária uma antena a cada 10 ou 15 quilômetros.

Para o Inatel, trata-se de uma motivação social, levar conectividade às áreas remotas e zonas rurais, o que beneficiará diretamente a agricultura, que consiste em uma das principais bases da economia do país. E, dessa forma, descentralizar o acesso à internet, o qual tem se concentrado nas áreas com maior densidade populacional.


Fonte:

Deixe seu comentário