Portal da Cidade Santa Rita do Sapucaí

Mundo afora

Ex-aluna do Inatel vence Desafio das Nações Unidas e premiação será na Coreia

Instituto santa-ritense possui história de apoio ao empreendedorismo e fomentou a vitória do projeto de Gabriela no desafio global sobre inovação digital

Postado em 04/09/2019 às 17:53 |

Gabriela embarcando para a Coréia do Sul para receber o prêmio do Digital Change-Maker Challenge (Foto: Arquivo/Inatel)

Gabriela Lopes, Engenheira de Telecomunicações formada no Inatel, foi a única brasileira selecionada no desafio global sobre inovação digital da agência de tecnologia das Nações Unidas e embarcou no sábado, 31 de agosto, para Coréia do Sul para a celebração e para participar de treinamentos exclusivos para os vencedores do prêmio. 

Por trás da vitória do projeto de Gabriela, o Barter Currency, existe uma história de apoio e empreendedorismo ligada ao Inatel. Seu pai, Claudio de Oliveira, foi a primeira geração da família a se graduar no Instituto e hoje atua no CIDC onde é realizada a parceria com a Huawei. Ao ficar sabendo do prêmio ITU, apresentou a oportunidade à Gabriela, que se graduou na Instituição, no final de 2018. “No começo ela se sentiu insegura, mas eu disse que alguém teria que vencer e poderia muito bem ser ela”, conta Cláudio sobre o início dessa jornada.

Gabriela trabalhou em sua ideia e se inscreveu, em seguida buscou apoio no Núcleo de Empreendedorismo da Instituição, onde segundo a vencedora nacional do Digital Change-Maker Challenge, foi muito bem acolhida. “O Raphael Cardoso do FabLab me incentivou desde o início e se reuniu comigo, já o Eduardo Zanin me ajudou com o vídeo e a documentação da ideia, tivemos diversos encontros no Nemp para aperfeiçoar o projeto. Eu pedi ajuda e fui muito apoiada, mesmo sendo ex-aluna. Até o vídeo exigido em uma das etapas, eu gravei dentro do Inatel, com apoio do pessoal do Nemp".

O projeto da ex-aluna envolve a inclusão socioeconômica e tecnológica por meio de trocas e doações. Doze ideias foram selecionadas por um júri de especialistas, que agora terão contato com uma rede de líderes mundiais, participarão de eventos na Coréia com as despesas pagas e ainda receberão um treinamento com ferramentas de inovação digital.

O professor Eduardo Zanin lembra que esse foi o primeiro desafio internacional apoiado pelo Nemp, com produção de textos em inglês e cada passo trabalhado com o mesmo cuidado, mas com essa atenção extra devido ao idioma e uma série de fases a cumprir. “Quando a Gabriela chegou, ela já tinha realizado vários passos e estava bem adiantada. O que fizemos foi afinar o modelo de negócio e a proposta, para tornar o 'produto' mais palpável. Mandamos o texto final com a definição de público-final, entrega de valor e como funcionaria na prática.”

“Eu comparo Gabriela a uma fênix, ela tem a capacidade de enfrentar sérios problemas e se reerguer. Ela acha que eu sou um exemplo, mas na verdade, ela é um exemplo para mim. Após as orientações recebidas pela equipe do Nemp, ela ficou tão confiante, que começou a correr atrás do passaporte para poder viajar para Coreia” orgulha-se Claudio sobre a evolução da filha.

Sobre a aplicação de seu projeto na prática, Gabriela afirma que tem muitas expectativas de ver o projeto funcionando, pois este foi um dos critérios de escolha do ITU, que irá checar o progresso da ideia. “Eu sou a única brasileira selecionada e vou para a cidade inteligente na Coreia do Sul. Vou receber treinamentos que impactarão muito em minha carreira e espero ver meu projeto trazendo resultados para as comunidades que mais precisam”.

“O Inatel tem uma parceria para a vida todo com o aluno e isso realmente funciona na prática, por exemplo, todo o programa de empreendedorismo é aberto para a comunidade de egressos e nós recebemos o ex-aluno exatamente como o aluno em curso. Estamos à disposição para usufruírem dos nossos serviços. Como um núcleo que estimula o empreendedorismo, também estamos abertos à comunidade externa para orientação e auxílio, o que a gente deseja é estimular empreendedores e negócios para o desenvolvimento de toda a região” enfatiza Eduardo Zanin sobre o apoio irrestrito do Inatel às práticas empreendedoras como a de Gabriela.

Sobre o Desafio ITU

O Digital Change-Maker Challenge é realizado pela International Telecommunications Union (ITU), agência de tecnologias de informação e comunicação das Nações Unidas, no qual participam projetos de todo o mundo. Com as finalidades de facilitar a transformação digital, acelerar o desenvolvimento nos países dos projetos inscritos e possibilitar o compartilhamento das melhores práticas com soluções centradas em TIC. O desafio foi aberto a participantes de todas as nacionalidades, sem limite de idade para a inscrição.

Sobre o Projeto Barter Currency

Segundo a Engenheira de Telecomunicações, o aplicativo é voltado para pessoas que têm pouca disponibilidade de moeda e vislumbra uma melhora no mercado de trabalho das regiões. “O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) retratou 55 milhões de pessoas vivendo na pobreza em 2018. A falta de dinheiro favorece a troca de bens e serviços, especialmente em municípios, cidades, vizinhanças ou áreas rurais, e o escambo pode reduzir a necessidade do dinheiro e até criar uma moeda própria da comunidade” afirma a autora do projeto. Por trás da tecnologia oferecida pelo Barter Currency estão os mais nobres objetivos, como aumentar as oportunidades de emprego e reduzir o desperdício de mercadorias, principalmente alimentícias.


À esquerda, o Professor Eduardo Zanim, do Nemp, que juntamente com Raphael Cardoso, orientou Gabriela na formulação do projeto. E Cláudio Oliveira Lopes, pai e primeira geração da família graduada no Inatel, grande incentivador da vencedora no Brasil do Desafio de Inovação do ITU, das Nações Unidas


Fonte:

Deixe seu comentário