Portal da Cidade Santa Rita do Sapucaí

Coluna

Atuação, trabalhos: Bate-Papo com Arthur é com Rachel Ripani

Rachel é atriz e fez novelas como Pequena Travessa, Dance Dance Dance e Caras e Bocas

Postado em 06/10/2021 às 12:50 |

(Foto: Acervo Pessoal)

Hoje, na coluna Bate-Papo com Arthur, vamos conversar com a atriz Rachel Ripani, a Tatiana de Caras e Bocas e a Débora de Pequena Travessa

Arthur: Quando decidiu ser atriz?
Rachel: Eu decidi ser atriz aos 10 anos de idade, quando assisti a Marco Nanini e Ney Latorraca em O Mistério de Irma Vap. Eu já fazia teatro na escola, mas ali foi a minha certeza de que aquela seria minha vida.

Arthur: Prefere teatro, cinema ou TV?
Rachel: Eu prefiro teatro! Mas o que gosto mesmo é de alternar entre todas as mídias. Gosto de variar.

Arthur: Como foi fazer Sandy e Jr?
Rachel: Eu adorei fazer Sandy e Jr. A equipe já estava toda azeitada, e é diferente chegar quando todo mundo já se conhece bem. Todos foram muito gentis e bacanas comigo, especialmente a Sandy e o Jr, muito queridos e simples. O trabalho foi só diversão.


Arthur: Como foi fazer Pequena Travessa?
Rachel: Já a Pequena Travessa foi uma novela inteira, chegando do começo e terminando com a galera. Eu realmente amei fazer uma vilã de novela mexicana. É muito libertador! A gente faz tudo que jamais ninguém faria na vida, e às vezes no mesmo dia. Atropelar uma pessoa e ir embora, trair o noivo, mentir gravidez, tentar o suicídio...Defender essa personagem foi um prazer.

Arthur: Como foi fazer Dance Dance Dance, na Band?
Rachel: Na Dance Dance Dance eu fiz uma professora de strip tease. Eu acho o máximo, mas não sou bailarina. Então fiquei um pouco tensa em aprender direito. Mas o resultado foi ótimo e reencontrei grandes amigos no elenco. Uma produção inovadora que adorei também.

Arthur: Qual foi o seu trabalho mais emblemático?
Rachel: Eu acho que na televisão meu papel mais emblemático foi a Tatiana, de Caras de Bocas. No teatro, Tanya, de Mamma Mia!


Arthur: Como foi fazer Jezabel?
Rachel: Foi muito bonito fazer a Zara em Jezabel. Dar humanidade a uma situação tão impensável hoje em dia, que era a dela. E contracenar com o Pedro Moutinho, um ótimo ator. Tivemos muita química e acho que a sinceridade com a história passou com tranquilidade.

Arthur: Como foi interpretar a Tatiana de Caras e Bocas?
Rachel: A Tatiana foi uma montanha russa. Começava como uma 'Jezebel', que queria tirar o Benjamin da fé. Na verdade ela só se apaixonava por ele, mas era assim que a comunidade dele ( e ele) a viam, como 'a tentação'. Ela teve a trajetória de sofrimento de, depois de encontrar o amor, ficar doente, perder o amor, emprego, autoestima, perder tudo, e só reencontrar através da fé, e depois da fé, veio a saúde e depois o amor novamente. Muito bonita a trajetória, muitas lágrimas e entrega. Fiz o meu melhor pela história do Walcyr Carrasco.

v Arthur Moreira, 13 anos, oitavo ano da E. E. Dr. Luiz Pinto de Almeida e repórter mirim

Quero ser jornalista

adoro me comunicar e trazer conteúdo para as pessoas."

v Arthur Moreira, 13 anos, oitavo ano da E. E. Dr. Luiz Pinto de Almeida e repórter mirim


Fonte:

Receba as notícias de Santa Rita do Sapucaí no seu WhatsApp.
Clique aqui, é gratis!

Deixe seu comentário

Outras notícias